Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil!

Published April 16, 2021

Rumble Em atitude de protesto, vimos um homem em um aparente surto psicótico.
Interessante nesse quadro é observar que ao contrário das negociações à exaustão, nós vimos o soldado sendo abatido, e justamente por aqueles a quem ele, possivelmente considerava, seus irmãos de farda.
E tudo porque ele resolveu se rebelar contra a ordem ilegal de bater, e prender, homens e mulheres que desesperados estão em busca do ganho diário, para poder mitigar a fome de seus filhos e pessoas que estão sob sua guarda e cuidado.
O pão de cada dia, que se deve ganhar pelo suor do próprio rosto, está proibido e sendo impedido por canalhas e por cupinchas de canalhas.

Que prepondera nos mecanismos sociais uma quantidade muito grande de covardes, todo mundo sabe.
O que não sabíamos era que de fato, estariam acobertados pela Suprema Corte de nosso País.

Chega a ser vergonhoso ver o quanto a covardia impera.

Vemos homens de bem apanhando de policiais civis, policiais militares, de fiscais e guardas municipais, em completo e total desrespeito à Constituição Federal.

Em meio à essa baderna vimos:

- Policial passando uma rasteira na vendedora ambulante que corria para não apanhar, e que, depois de cair, ainda foi chutada pelo guarda (nesta primeira cena, não sabemos se é um policial ou um guarda municipal, certo é que é um canalha de marca maior);

- Em outra cena, policiais civis, prendendo um cidadão, com a truculência e o uso da força que jamais se viu sendo usada contra pessoas de altíssimo graus de periculosidade;

- Em outro quadro, e aqui parece tratar-se de guardas municipais, que torcem o braço de uma senhora, aparentemente sozinha, e o cavalo ajoelha-se sobre a mulher com o braço dela torcido, em posição de rendição total. Até porque pelo quadro se percebe que a mulher não teria qualquer condição de revide, ainda que não estivesse rendida. Três homens contra uma mulher, diga-se de passagem, vendedora de picolé;

- No outro quadro percebe-se um homem jogado ao chão e em sua volta, ao menos, quatro policiais. Esse homem infartou e veio a óbito. Lembrando que a mulher desse homem que chora no vídeo, teria avisado os policiais que o homem sofria de problemas cardíacos;

- Quanto ao soldado da PM da Bahia que resolveu se rebelar às ordens injustas de atacar cidadãos trabalhadores, vê-se o homem sendo baleado por uma chuva de tiros. Fica bastante evidente o extermínio de uma pessoa, ao contrário do carinho com que costumam tratar bandidos perigosos.

- Em outro quadro vemos um homem em completo desespero, com uma criança no colo, pedindo aos gritos dentro de um supermercado, que alguém lhe dê um pacote de arroz, um pacote de feijão e um litro de óleo... Percebe-se o desespero, mas, de quê adianta, notarmos o desespero, se praticamente todos estamos sendo impedidos em tudo...

E sucedem-se os quadros com cenas incríveis de barbárie em altíssimo nível.
Creio que por essas cenas, já seria possível, criminalizar o STF todo, por sua conivência com essas atitudes insanas provocadas pelos governadores e prefeitos no Brasil.
Inúmeras situações de pessoas, que percebemos foram postas nas ruas, apenas para bater nos cidadãos e trabalhadores, para tirar-lhes os meios de trabalho e colocando-os com medo da atitude truculenta das corporações em exercício.

Agressões físicas e com armas apontadas, socos, pontapés, tapas e coisas que normalmente não se vê, a não ser em situações de guerrilha urbana ou rural.

Armas na cabeça de trabalhadores inúmeras vezes...

Advogada sendo agredida de forma cruel e em total desrespeito a quaisquer dos mecanismos que poderiam garantir uma ação policial...

E por último, um homem no chão rendido por três policiais, leva socos na cara, desferidos por um sargento.

Só me resta dizer, muitos dos homens que ocupam cargos nas corporações, não passam de covardes, e que de homens, provavelmente, apenas o que carregam entre as pernas, nada mais.

(ap. Ely Silmar Vidal - Teólogo: COJAE 0001-12-PF-BR; Psicanalista: CONIPSI CIP: 0001-12-PF-BR; Jornalista: DRT-0009597/PR e presidente do CIEP - Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333
(41) 99109-8374
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 04042021 - Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil - (imagens da internet)

Aproveito para deixar claro que os trabalhos que tenho desenvolvido, são de pura e simplesmente divulgação do que acho interessante para conhecimento geral, e não busco ganho algum com isto, senão o de transmitir conhecimento.

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se a mensagem foi útil, e acha que pode ser útil a mais alguém, divulgue:
(ao replicar, preserve a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

E siga-nos também através deste link: https://odysee.com/@portaldaradio:d/Ou-ficar-a-P%C3%A1tria-livre-ou-morrer-pelo-Brasil:9

[category direitos-humanos,stf,forcas-de-seguranca]

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae